TEDMED

A vacina contra Febre Amarela precisa de um reforço?

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

 Vacina contra Febre Amarela precisa de um reforço? Os EUA dizem que em alguns casos sim (veja quais)

 

Após revisar uma série de estudos, em declaração realizada no ano de 2013, o reforço a cada 10 anos para vacina de febre amarela deixou de ser necessário para a Organização Mundial de Saúde (OMS). No ano de 2017, o Ministério da Saúde também parou de preconizar o reforço.

Entretanto o Center of Disease Control and Prevention (CDC) dos EUA foram mais criteriosos ao avaliarem osestudos. O órgão disse que é impossível avaliar com precisão os dados atuais e concluir que grupos especiais, como gestantes, pessoas convivendo com o HIV, usuários crônicos de corticoides ou outros imunossupressores, doentes renais crônicos, entre outras condições especiais que podem afetar a imunologia do indivíduo, não necessitem de reforço da vacina. Para eles, os níveis de anticorpos protetores são em longo prazo, porém o tempo de declínio e a ultrapassagem de níveis protetores para não protetores podem variar segundo a situação. Tal argumento já foi avaliado anteriormente com respostas similares para a vacinação de Hepatite B e para própria febre amarela em pacientes com HIV e níveis de linfócitos T CD4 baixos e falha vacinal. Algo a ser pensado é se essas pessoas moram ou irão viajar para áreas de risco (vacinação 10 dias antecedendo a viagem). Isso pode reduzir quantitativamente o número de vacinações desnecessárias e, por consequência, efeitos adversos ligados à vacina.

Por outro lado, a OMS afirma que desde a década de 30, apenas 12 casos de febre amarela foram registrados após a vacinação e que na verdade foram casos de falhas vacinais e não de queda de níveis protetores de anticorpos. O risco de subnotificação certamente existe.

Cabe ressaltar que no Brasil, a vacina utilizada é de vírus atenuado, estando contraindicada em indivíduos com imunossupressão, gestantes e lactentes, portadores de alergia ao ovo, bebês com menos de 6 meses de idade e idosos. Justamente o grupo em que se discute a necessidade de reforço entre CDC e OMS. Um fator agravante é o uso de doses fracionadas no Brasil a partir de 2018, em que a vacina é diluída e aplicada a cerca de 1/5 da dose padrão. Especialistas divergem que a dose fracionada é protetora por em torno de 8 anos e necessita realmente de reforço, apesar de não ser menos eficaz do que a dose padrão. A OMS recomenda que se faça a fracionamento da vacina somente em situações emergenciais, quando há a ocorrência de um surto de febre amarela em alguma região e é necessário que uma grande quantidade de pessoas sejam vacinadas, com objetivo de evitar o desabastecimento da vacina. Atenção ao tipo de vacina inativada e atenuada, fracionada ou não fracionada para avaliar a necessidade de reforço. No Brasil em 2018, estamos realizando vacina atenuada (com reforço após 8 anos) e fracionada em áreas de maior risco e vacina atenuada total na demais áreas (sem reforço pela OMS).

Faça nossos cursos em www.tedmed.com.br.

Um forte abraço e até lá!

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

0 responses on "A vacina contra Febre Amarela precisa de um reforço?"

Deixe sua mensagem

A TedMed

A TedMed foi criada no ano de 2015 com o intuito de empreender e desenvolver ferramentas vinculadas a tecnologia em Medicina. Oferecemos a nossos alunos uma gama de cursos on-line. Venha fazer parte de nossa turma.